was successfully added to your cart.

São 8! Britney Spears tem nada mais, nada menos do que 8 clipes com fortes referências e que viajam em várias galáxias do universo da ficção científica. Fim do mundo? Tem. Vida fora da Terra? Tem também! Animação? Duas! Super-Heroína? Claro! Estamos falando sobre a música pop. Conspiração Robô? Não poderia faltar.

Chega de perder tempo, vamos à lista:

Oops!… I did it again (2000)

anigif_enhanced-buzz-1357-1427495572-16

Até hoje ninguém sabe direito o que aconteceu nesse clipe (veja esse post do Buzzfeed com 15 questões que esse clipe deixou sem resposta). Mas a gente sabe que tem: Marte, um astronauta que tenta ser o par amoroso da Britney, muita dança e muito, mas muito látex vermelho.

Essa foi a primeira vez que a cantora pop investiu pesado em efeitos visuais, dando uma cara bem futurista para o clipe.

Veja o clipe inteiro aqui.

Toxic (2003)

tumblr_mjcw6vDzxI1rl8rnpo1_500

Achou que Toxic era só dancinhas e sensualidade? Errou. Toxic é recheado de referências de filmes sci-fi clássicos, daqueles bem obrigatórios na lista de assistidos.

Aqui, Britney interpreta uma assassina perigosa, com sede de vingança, disposta a superar qualquer desafio para matar – de intoxicação – seu ex-amor e atual inimigo. Isso te lembra alguma coisa? A história de Beatrix Kiddo, por exemplo? Você não está errado, mas a referência é ainda maior… Toxic também homenageia os filmes de John Woo, cineasta chinês que inspirou Quentin Tarantino a seguir carreira no cinema. Logo na primeira cena do clipe, você vê algumas pombas sobrevoando o céu, que são marca registrada do cineasta.

brit_doves

The Killer – John Woo

 

Outro ponto alto é quando percebemos que o clipe se passa em Tóquio, na maior vibe de… BLADE RUNNER!

E não é só isso!

Em Toxic, Britney se disfarça VÁRIAS vezes para cumprir a sua missão. Em um desses disfarces ela se transforma na protagonista da série Alias, Sydney Bristow, uma espiã da CIA que além de derrubar qualquer pessoa em uma luta, fala mais de 30 línguas.

Break The Ice (2008)

Em seu primeiro clipe animado, Britney quis se aprofundar no universo da heroína de Toxic. No anime (mais uma referência aos seus gostos pela cultura pop asiática), ela se apropria de algumas cenas do Matrix e também de sua mensagem: é uma história sobre se libertar do sistema e abrir a sua mente.

Ela desafia leis da física pulando de prédios super altos, enfrenta cyborgues disfarçados de seguranças, até que chega em um laboratório bem estranho, com diversos clones em formação presos em cápsulas. Ela encontra sua cópia e depois de um leve momento de sentimentalismo, a destrói.

Apesar de ser um dos seus melhores clipes, é também um dos mais esquecidos pela mídia. Assista aqui.

Kill The Lights (2009)


Depois de acabar com um romance tóxico e se libertar do sistema, chegou a hora da heroína de Toxic enfrentar a imprensa e os paparazzi, fechando a trilogia dessa história (pelo menos até agora).

O plot de Kill The Lights foi escolhido em um concurso de fanfics escritas por fãs da cantora. A vencedora, a argentina Eliana Moyano, escreveu uma história de perseguição interstelar e muita ação.

Cansada dos paparazzis, Britney foge e se esconde em outro planeta. O problema é que quando ela chega lá, as luzes começam a se acender e vários fotógrafos aparecem em cima dela, sem dar espaço ou um tempinho que fosse para descansar. Quando ela se irrita, pega sua nave espacial e BOOM! Explode o planeta inteiro.

Till The World Ends (2011)

Nós já vivemos várias teorias da conspiração sobre o fim do mundo (quem não se lembra do bug do milênio?), mas só uma delas recebeu uma menção da princesa do pop: o fim do mundo maia. O clipe se passa no dia 21 de dezembro de 2012 e mostra uma das coreografias mais complexas de todos os quase 40 clipes que a cantora já tinha feito até aquele momento de sua carreira. Tem até uma versão do coreógrafo!

No clipe, Britney e seus amigos caracterizados como rebeldes, se protegem em um bunker, onde o lema é continuar dançando até o mundo acabar. Prédios explodem, o céu se fecha em escuridão, a cidade inteira começa a ruir, mas eles só param de dançar quando o sol começa a sair (tipo quando acendem a luz da balada, sabe?)

Igualzinho sair da balada!

I Wanna Go (2011)

Só quem já planejou a morte de alguém na sua cabeça ao mesmo tempo em que conversava com a mesma pessoa, fingindo um sorriso, entende o que a Britney passou nesse clipe. Enquanto respondia às perguntas mais idiotas em uma coletiva de imprensa, ela se imaginava andando pela cidade, mostrando que a zuera não tem limites e que os paparazzis podem ser mais perigosos do que parecem. Já imaginou se eles fossem robôs altamente perigosos, que receberam ordens diretas do futuro para aniquilar as celebridades pops? Britney não fica com medo e enfrenta todos aqueles robôs que vieram diretamente do Exterminador do Futuro.

E ainda tem um bônus no final! Esse olhar te lembra alguma coisa?

MUAHAHAHAHA

Scream and Shout (2012)

Se você parar e pensar no tema desse clipe, o que mais se encaixa é: ostentação. E se eu te disser que é uma ostentação futurista? E que os looks da Britney foram todos inspirados na Barbarella de Jane Fonda?

Pretty Girls (2015)

Essa música tem a participação da Iggy Azalea, que interpreta uma alienígena bonitona, que veio para a Terra só para saber qual que é a dos homens desse planeta. Em um mix de Patricinhas de Beverly Hills com invasão alienígena, ela aprende a falar como as amigas da Britney, se porta como elas e transforma telefones ultrapassados em celulares modernos!

Quando descobre que os homens da Terra não são tão diferentes assim, ela decide se jogar na pista de dança com suas amigas e se divertir com elas. Pelo menos até ser abduzida de volta para a sua nave.

Sobre Antimateria

A Antimatéria é um site criado e mantido por quem ama ficção científica e adora falar sobre isso.

Deixe seu comentário